Assinar do jornal impresso? Clique aqui.
Torres, RS, 30 de Abril de 2017.

ALIMENTOS ORGÂNICOS: Benefícios em todas as esferas
Ter, 16 de Agosto de 2016 12:06


Ecotorres oferece mais de cem produtos orgânicos diferentes (foto)



Além dos benefícios à saúde, os alimentos orgânicos trazem resultados posivitos ao meio ambiente, à agricultura familiar e tem papel fundamental para o brasil alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU.

 

 

Por Maiara Raupp

________________

  

Nas últimas décadas houve um crescimento muito grande com relação à preocupação com a saúde, por isso as pessoas começaram a investir numa alimentação mais saudável. Essa mudança de comportamento propiciou o desenvolvimento de novas técnicas de produção na agricultura, que culminaram com a produção de alimentos orgânicos. Apesar deste tipo de alimento ainda ser um pouco estranho para a maioria da população, um número significativo de pessoas no Brasil e também no mundo já descobriram os benefícios de adquirir produtos orgânicos.
No Brasil, a demanda por produtos orgânicos cresce entre 15% e 20% ao ano. Esses números correspondem ao crescimento do mercado, mesmo porque restaurantes, bares e hotéis se mostram interessados em incluir produtos orgânicos em seus cardápios para atender a seus clientes que já consomem alimentos orgânicos com regularidade. Além disso, as redes de supermercados também querem elevar a oferta de produtos orgânicos aos seus consumidores, que buscam alimentos mais saudáveis.
Mas, como é possível identificar um alimento orgânico? No Brasil, o produtor recebe um selo de garantia que mostra que o produto é orgânico, sendo, portanto, isento de resíduos tóxicos. No entanto, os pequenos produtores que fazem venda direta aos consumidores não são obrigados a apresentar esse selo de certificação. Apesar disso, os produtores devem estar vinculados a uma Organização de Controle Social (OCS) cadastrada nos órgãos do governo, e precisam cumprir o regulamento da produção orgânica.
Agricultores familiares e pequenos e médios produtores são os responsáveis por cultivar os alimentos orgânicos. Para evitar que produtores mau intencionados possam fraudar e vender alimentos convencionais como se fossem orgânicos, existe no Brasil o instituto IBD, que controla a produção e comercialização desse tipo de alimento e fornece o selo IBD Orgânico para os produtos que são vendidos no mercado interno. 

Diferença entre os alimentos orgânicos e não orgânicos 

Ao contrário dos alimentos convencionais, os produtos orgânicos utilizam técnicas específicas, que respeitam o meio ambiente durante todo o seu processo de produção. Além do mais, eles também visam à qualidade do alimento, já que não são usados agrotóxicos nem qualquer outro tipo de produto - como adubos químicos que possam acarretar algum dano à saúde de quem consumir o alimento. Ou seja, eles são obtidos de maneira mais natural, por isso são mais saudáveis e até mais saborosos e nutritivos.
Pela técnica convencional de produção de alimentos, utiliza-se maquinário pesado e insumos químicos. Como consequência há desgaste do solo, contaminação de alimentos por agrotóxicos e diminuição da qualidade dos alimentos. Por outro lado, a técnica utilizada na produção de alimentos orgânicos dispensa o uso de qualquer tipo de contaminantes que ponham em risco a saúde do agricultor, do meio ambiente e do consumidor, preservando portanto a saúde humana e ambiental. Existe um cuidado especial com a água e com o solo, que é preservado, sendo utilizada matéria vegetal e animal para a adubação (húmus de minhoca, esterco curtido, adubação com leguminosas). O controle biológico de pragas de forma limpa é outra preocupação dos produtores de alimentos orgânicos.
No Brasil já podem ser encontradas frutas, verduras, legumes, grãos, ovos e carnes orgânicos. No caso da produção de ovos e carnes, o cuidado com o rebanho ou a granja é ainda maior, já que os animais não podem ter estresse. Além do mais, a alimentação é feita com grãos, cereais, sementes, verduras e legumes orgânicos. Os animais também são criados sem a aplicação de hormônios, anabolizantes e antibióticos. Por todos esses motivos, os ovos e as carnes orgânicas são mais saudáveis.

 Onde encontrar alimentos orgânicos? 

Nos grandes centros urbanos, por exemplo, os alimentos orgânicos são encontrados à venda em Feiras Orgânicas, que comercializam exclusivamente produtos orgânicos. Em Torres não é diferente, aos sábados das 7h às 12h, na praça da Lagoa do Violão, ocorre a Feira Ecológica, onde você encontra alimentos de produtores da região.

Além da Feira, a Cooperativa de Consumidores de Produtos Ecológicos de Torres (Ecotorres) também disponibiliza uma loja fixa no centro da cidade que comercializa mais de cem produtos diferentes, oriundos de grupos e associações de agricultores ecologistas do estado do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina como pães integrais, bolos de milho, maionese de banana verde, chimias orgânicas e suco de açaí de juçara.

Para o agrônomo Laércio Meirelles, a loja permite uma experiência onde as pessoas percebem que, além das vantagens para a saúde e para o planeta, o produto orgânico é bom e gostoso. É um lugar agradável onde as pessoas se encontram e comem saúde.
A Ecotorres foi fundada em 17 de novembro de 1999 e tem hoje cerca de 120 associados. Desde a fundação é assessorada pelo Centro Ecológico. 
Para àqueles que não têm tempo de ir às compras, mas deseja consumir alimentos orgânicos, um novo serviço está sendo oferecido em Torres. O Verde no Prato delivery trabalha com entrega direta do produtor para sua casa. “Somos sustentáveis, pois não utilizamos qualquer manipulação química nos alimentos e respeitamos o ciclo natural e a sazonalidade de cada produto”, explicou a idealizadora, Thamires.
A torrense, que é filha de agricultores e cresceu no interior de Torres, na localidade de Rio Verde, idealizou a iniciativa juntamente com sua família. “Criamos a Verde no Prato com o intuito de aproximar os consumidores de Torres e os produtores, produzir alimentos sem agrotóxicos e colher um dia antes da entrega. Fresquinhos. Eu e minha prima é quem fizemos todo o trabalho da plantação, irrigação até a colheita e o preparo para a entrega. Nós montamos um kit a cada semana e entregamos toda sexta pela manhã. Este projeto é feito com muito amor e respeito pela natureza”, afirmou Thamires.

 
Produtos da 'Verde no Prato' são colhidos fresquinhos e entregues na casa do consumidor
 

Rumo aos Objetivos de desenvolvimento sustentável

 

A agricultura orgânica terá papel fundamental para o Brasil alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). No ano 2000, a ONU definiu uma lista de objetivos elencados a partir dos resultados dos Objetivos do Milênio (ODM) estabelecidos naquele ano, e que começaram a ser executados em 2013, com prazo limite até 2030. Todos os países do mundo foram envolvidos nessas metas que buscam combater diversos problemas sociais, entre eles a fome, adesigualdade social e o aquecimento global.

Segundo dados da entidade, nos últimos anos houve uma melhora significativa nos índices de combate à desnutrição, de 23,3% da população mundial entre 1990 e 1992 para 12,9% em 2014 e 2016. Entretanto, as estatísticas mostram que uma em cada nove pessoas no mundo (795 milhões) ainda é subnutrida. No Brasil, ainda restam 3,4 milhões pessoas subalimentadas.

O caminho para alcançar os objetivos, portanto, será longo. No Brasil de hoje, menos de 1% do território agricultável é destinado às práticas mais sustentáveis e agroecológicas, faltam pesquisas sobre o tema (enquanto sobram estudos para a agricultura tradicional), há dificuldades de encontrar sementes não-transgênicas, assim como é difícil o acesso ao crédito e ao seguro rural, entre outros entraves.

É possível apoiar a agricultura orgânica priorizando a alimentação saudável, escolhendo ingredientes produzidos sem agrotóxicos e transgênicos, fomentando feiras de produtos orgânicos, tendo suas próprias hortas orgânicas, buscando conhecimentos em cursos e palestras sobre o tema e cobrando apoio governamental à causa.

Ao assumir essa postura mais consciente, os resultados aparecem não só na saúde humana, mas também no meio ambiente. Segundo Carlos Gonzales-Fischer, pesquisador da Universidade de Oxford, já existem evidências que comprovem que tais dietas têm muito menos impacto ambiental que padrões não saudáveis e insustentáveis de alimentação. “Então, ao comer bem para nossa saúde pessoal, estamos também fazendo o melhor pelo planeta”, afirmou o professor.

Esse indício torna evidente a ligação entre as necessidades de uma nutrição saudável e de agricultura sustentável. A revolução social através da agricultura orgânica impacta além do combate à fome.

 

 

BENEFÍCIOS DOS ALIMENTOS ORGÂNICOS

·         - Os alimentos são mais saudáveis, pois são livres de agrotóxicos, hormônios e outros produtos químicos. Menor índice de toxidade.

·         - São mais saborosos.

·         - Maior valor nutricional do alimento. Maior concentração de nutrientes, chegando a ser 20 vezes maior do que em alimentos comuns.

·         - A produção respeita o meio ambiente, evitando a contaminação de solo, água e vegetação.

·         - A produção usa sistemas de responsabilidade social, principalmente na valorização da mão de obra. 

“Pra mim a questão de consumir orgânicos vai além dos benefícios indiscutíveis de não consumir agrotóxicos, de colabor com o meio ambiente e incentivar à agricultura familiar. Os alimentos orgânicos possuem mais fitoquímicos, substâncias que a planta produz quando tem que se proteger. Desta forma, sem o agrotóxico, produz muito mais. Os fitoquímicos têm ainda potencial para reduzir risco de doença cardiovascular, câncer e outros tipos de doenças”, explicou a nutricionista torrense, Gabrieli Monteiro.

 

 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner