Assinar do jornal impresso? Clique aqui.
Torres, RS, 30 de Abril de 2017.

ENTREVISTAS APRESENTAM CANDIDATOS DO PSOL E REDE SOLIDARIEDADE À PREFEITURA DE TORRES
Seg, 29 de Agosto de 2016 21:24


Nas fotos, candidatos Marcio Gente Fina (SD) e  Marzinho (PSol)  

 

Por Maiara Raupp
_______________

 

A série de entrevistas realizada pela Rádio Maristela AM com os candidatos a prefeito de Torres, iniciadas na semana passada com os candidatos Alessandro Bauer – coligação PMDB, PSDB, PSD e PFR e Carlos Souza – coligação PP, PT, PDT, PTB, Rede e PSB, seguiram nesta semana com os canditatos Lindomar Caetano Lumertz Filho (Marzinho) do PSOL e Márcio Alexandre da Solidariedade, e o jornal A FOLHA decupou as entrevistas da mesma forma.

 

APRESENTAÇÃO E VISÃO

Lindomar Caetano Lumertz Filho (Marzinho) do PSOL, se apresentou da seguinte forma: sou filho da Rosalina e Lindomar Caetano Lumertz, tenho 51 anos, sou casado há 25 anos com a Rosane. Tenho dois filhos, Marcos e João. Sintetizando o que espera fazer como prefeito de Torres ele afirma que “como torrense, pela paixão enorme que tenho por essa cidade, que tanto fez por mim e pela minha família, eu quero promover mudanças aqui em Torres. Porque mesmo eu não sendo político, eu vejo que Torres está regredindo na minha opinião, então eu vim aqui para fazer a mudança”.

Já o candidato Márcio Alexandre, da Solidariedade, se apresentou da seguinte forma: "não sou torrense de nascimento, mas lembro os melhores momento da minha infância em Torres. Na minha adolescência Torres foi fundamental. Fui amadurecendo fui adotando Torres como minha cidade natal. E Torres também me adotou. Aqui decidi abrir meu comércio e construir minha família. Aqui estou realizando meus sonhos profissionais e agora politicamente. Casado com uma advogada, tenho um filho de 17 anos, três enteados e dois netinhos. Sou estudante de direito e há três semestres tranquei a faculdade para me dedicar a causas desafiadoras. Hoje estou preparado para ser prefeito de Torres". Sintetizando o que espera fazer como prefeito de Torres ele afirma que “a gente precisa primeiro amar Deus, depois precisamos amar o próximo como a si mesmo. E eu consegui o sucesso de amar a mim mesmo e agora está na hora de amar o próximo. E amar o próximo é administrar bem essa cidade, que não tem sido bem administrada nos últimos anos. Nós não temos saúde decente, não temos estradas decentes, empregos como precisamos, escolas como necessitamos. Os políticos que vemos, eles vão e voltam, são políticos profissionais. Eu me preparei para administrar Torres”.

 

SAÚDE: ambos acreditam que falta gestão

Na SAÚDE, Lindomar acredita que há recursos, no entanto são mal organizados. “Hoje uma pessoa que vai procurar um posto de saúde leva quase quatro horas para ser atendido. Para mim a saúde não tem preço. Tem que ser prioridade. E não está sendo aqui em Torres. Ficar horas esperando um médico. Por quê? O que está faltando?”, indagou o candidato do PSOL.

O candidato Márcio também defende a ideia da falta de gestão. “Para nós está faltando gestão. Tem bastante política, mas está faltando gestão. O Brasil inteiro está em crise, mas nós queremos saber de Torres nesse momento. Chega de só reclamar da crise. A gente precisa criar soluções, projetos, antever o problema, captar recursos, estudar a saúde”, afirmou o candidato da Solidariedade.

 

EDUCAÇÃO: foco na solução e no trabalho

Na EDUCAÇÃO o candidato Lindomar falou que tem várias propostas, mas com relação as creches, conforme indagado, ele garante que pretende aumentar os horários de atendimento das creches, além de abrir mais vagas com construções de novas escolas. “Se eu começo a trabalhar às 8h e saio às 18h o que eu faço com meu filho, se eu não tiver condições de pagar uma pessoa para cuidar? Nós temos que aumentar o horário das creches para que as mães possam trabalhar. Das 7h ás 19h, essa é minha meta. Ninguém vai trabalhar a mais. Faremos turno correto e contrataremos novos profissionais se for preciso. Nós somos uma cidade turística. No verão isso é muito sério. Queremos também abrir novas vagas. Vamos construir novas escolas. Mas não como se constrói em Torres. As obras começam e não terminam. Se arrastam anos e anos. Não é por aí. É começar e terminar. E não colocar a culpa nos governantes que estavam. Eu quero pensar daqui pra frente se eu for eleito. Não quero arrumar culpados, quero arrumar soluções”, concluiu Lindomar.

Já o candidato Márcio continua na tese de que a gestão é o caminho. “Tem recursos, tem projetos, mas precisamos trabalhar. Tá faltando gestão e iniciativa. Temos que levantar da cadeira e trabalhar. Isso é uma empresa. Uma grande empresa que é Torres. Não é fazer milagre é trabalhar”, disse Márcio.

 

NOVA SEDE DA PREFEITURA: PSOL pretende aproveitar o espaço, solidariedade quer decidir com a comunidade

Com relação ao ex-hotel Beira Mar, onde é a nova sede da prefeitura, Lindomar disse que não gosta de rasgar dinheiro. “O local acho que não é o ideial, mas já que temos, vamos aproveitá-lo. Temos que terminá-lo, já que estão prontos somentes três andares. Mas sair do aluguel é o melhor caminho. O município adora pagar aluguel. Eu quero colocar todo mundo lá dentro para acabar com o aluguel”, defendeu Marzinho.  

Já o candidato Márcio, mesmo acreditando que investir em um imóvel é bom, ele garante que decidirá com a sociedade. “Não entendo que seja uma péssima aquisição. Eu acredito que qualquer compra de imóvel é bom, só que tem que ver que imóvel, se dá para usar, se precisa reformar, se é um local adequado, útil para aquele fim, adequado para um centro administrativo do município. Nós precisamos chamar a sociedade de uma forma bem mais transparente do que foi feito nesse processo, para a sociedade nos ajudar a decidir. Quem decide é a sociedade, não é um único prefeito”, assegurou Márcio.

 

ESTACIONAMENTO ROTATIVO: os dois não implantariam o projeto

Com relação ao ESTACIONAMENTO ROTATIVO, Marzinho afirma que do jeito que tentaram fazer ele é contra. “Ficou um negócio meio lucrativo. Não era para resolver e sim para lucrar. Eu não concordo com os números que ficariam para a prefeitura e eu faria somente nas principais avenidas. Além disso, implantaria por meio da prefeitura, para empregar pessoas daqui. Nada de empresa de fora”, disse o candidato do PSOL.

Já o candidato da Solidariedade, ressaltou que o estacionamento rotativo é um dos pontos mais importantes a se decidir. “Ao meu juízo estacionamento pago não pode existir em Torres. Não neste momento, que o trânsito está desordenado e sem planejamento. Primeiro é preciso repensar o trânsito, principalmente em longo prazo. Que graça tem onerar o povo que já está sofrido e só falindo. As avenidas estão cheias de buraco, não temos placas, não temos um pórtico. A nossa proposta é começar a gerir. Organizar a casa primeiro”, concluiu Márcio.  

 

TURISMO: candidatos acreditam que investimentos são necessários

Na área do TURISMO o candidato do PSOL assegurou que tem muito pouco investimento e que é preciso ter espaços para apresentações musiciais, teatros, para eventos. “É preciso valorizar mais a cultura local, dar oportunidade para os artistas”, falou Marzinho.

Já o candidato da Solidariedade destacou que Torres não têm uma identidade de turismo. “Nós precisamos melhorar o turismo, criar uma identidade turística, precisamos implantar um turismo religioso, ecológico, rural, empresarial. Isso não é milagre. Torres está em crise por falta de gestão. Precisamos trabalhar pra promover o turismo”, afirmou Márcio.

As entrevistas abordaram outros tópicos como agricultura, esporte, segurança, incentivo empresarial, mão de obra qualificada, no entanto devido à falta de tempo não foram realizadas aos dois candidatos da mesma forma. Para finalizar o candidato do PSOL disse que vê um potencial enorme em Torres. “Na minha opinião, e de muitos, é a mais bela praia que existe e está sendo maltratada. Então eu quero fazer diferente, com muita honestidade e trabalho”, concluiu Marzinho. Já o candidato da Solidariedade afirmou que vem observando há muitos anos Torres. “Eu preciso amar ao próximo como a mim mesmo. Eu não tenho visto isso acontecer em Torres. Me preparei muito pra isso. Penso um novo rumo pra Torres, com compromisso, amor e responsabilidade, tendo em primeiro em lugar o ser humano”, encerrou Márcio.

 

 

*Com informações de Rádio Maristela

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner