Assinar do jornal impresso? Clique aqui.
Torres, RS, 30 de Abril de 2017.

NOVA ASSEMBLÉIA DEVE DELIBERAR SE SAI OU NÃO SAI A GREVE DOS SERVIDORES DE TORRES
Seg, 20 de Março de 2017 20:16

 

Em uma reunião com a presença de vereadores, realizada  na sala de reunião do Centro Administrativo, na manhã desta segunda-feira,  a prefeitura de Torres propôs ao SIMTO e ao Comando de Greve dos servidores de Torres uma nova configuração sobre o reajuste salarial, após a greve ter sido conclamada para iniciar à zero hora desta terça-feira, dia 21. A greve pode, portanto, sequer iniciar. Tudo depende da decisão dos funcionários públicos.

 Representado o Simto na reunião, o presidente interino André Dambrós, representando o Cepemto o presidente Belimar Guimarães. Representando a prefeitura o prefeito Carlos Souza, o secretário de Administração Mateus Junges e a Secretária da Fazenda Clarisse Brovedan. Os vereadores do PMDB Jacques, Gimi e Marcos; do PP o vereador Fábio, Val e Gisa e do PT a vereadora Zeti completaram as autoridades públicas que participaram da reunião que busca acordo para que não haja greve na cidade.

O prefeito Carlos tentou que a proposta anterior, de em torno de metade do INPC que é a correção monetária, fosse aceita explicando as dificuldades da prefeitura, que tem mais de R$ 20 milhões de restos a pagar herdado do governo anterior.  Mas o sindicato não abriu mão de receber a correção monetária integral, de 6,66%, colocando outras demandas dos servidores como reajuste no Vale Alimentação, dentre outras.

 

REAJUSTE INTEIRO PARCELADO EM TRÊS VEZES

 

Após explanações de vários presentes na reunião - principalmente servidores membros do Comando de Greve – o prefeito recuou e aceitou a proposta do sindicato, parcelada em três vezes, pagas ainda no ano de 2017. A primeira agora, em fevereiro de 2%; a segunda em agosto, também de 2% e a última em novembro, de 2,66%%. O vale alimentação ficou congelado e terá reajuste total no ano que vem, conforme negociado na reunião, e fica em R$ 200 por mês.

O SIMTO, agora, deverá formalizar a proposta em uma nova assembleia feita junto aos servidores, quando será deliberada se a greve se mantém ou se a greve sequer inicia, embora ela (greve) esteja marcada para a meia noite desta terça-feira (21/3). O prefeito Carlos afirmou que “conta com a presteza dos sindicalistas para que não seja sequer iniciada a greve”. Ela disse que a proposta é difícil e que, se houver greve, a prefeitura será obrigada a recuar novamente na proposta. O presidente do sindicato André Dambrós ponderou que não podia se responsabilizar sobre a decisão da Assembleia nem pela garantia que não haverá paralização a partir da terça-feira, pois existem ritos legais a serem cumpridos e a greve foi deflagrada em reunião na sexta-feira.

 

EM TRIBUNA POPULAR ANDRÉ DAMBRÓS ANUNCIOU ASSEMBLÉIA

 

 Na sessão da Câmara realizada na mesma  segunda-feira, dia 20/3, o presidente do Simto André Dambrós participou da Tribuna Popular da casa. “O que estamos requisitando é o mesmo que queríamos na época da eleição. E se trata de uma pauta pendente em anos”, disse Dambrós.  “Assistimos votarem suplementações orçamentárias de um lado para o outro e acabamos sempre sem termos verbas sequer para direitos elementares, como a reposição das perdas. E isto está previsto”, continuou o sindicalista. “O nosso pedido de reposição do sindicato é de 15% para termos a correção das perdas dos anos anteriores. Entendendo a situação da prefeitura, agora só estamos querendo que a prefeitura pague o reajuste anual do INPC de 6,66%", explicou André.

 O sindicalista falou sobre várias outras demandas do sindicato. Aplaudido durante sua fala, André Dambrós também reclamou do atual secretário de Administração Mateus Junges por ele ter prometido várias coisas no ano passado e não ter  cumprido. “Gostei da analogia feita por colegas que time que não estava ganhando tem de mudar, como um recado dado aos gestores que eram da gestão passada estarem trabalhando, ainda, nesta”, disse.

O presidente do sindicato encerrou sua participação na tribuna avisando que a categoria ainda está em Estado de Greve. Uma reunião entre os participantes do Comando de Greve será feita na noite desta segunda-feira, dia 20, para preparar a Assembleia marcada para terça-feira, dia 21, às 14 horas, no Salão Comunitário do bairro Stan. “Não sei o que vamos decidir, mas se a greve continuar, ela  deverá ser por tempo indeterminado”, afirmou Dambros. Vereadores deram ideias para ambos os lados. Uns para evitar a greve e outros para endurecer mais ainda as reinvindicações dos servidores. 

Não haverá aula na terça-feira.  Pode ser que servidores também não trabalhem neste dia 21 de março, pois a greve está deflagrada para iniciar à zero hora deste dia. Mas o comando de greve pode ter providenciado para que a categoria não entre em greve neste terça, pelo menos antes da decisão da assembleia. Nada é certo, tudo é possível, inclusive a continuidade da greve. Mas a tendência é de acordo.  

 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner