Sobre Nós

10 Anos de História

Lançado no dia 01 de junho de 2006, coincidentemente data em que é comemorado o Dia da Imprensa, o jornal A FOLHA foi concebido pelo economista Fausto Araujo Santos Júnior. Morador de Torres desde 1997, mas veranista da cidade já na década de 60, Fausto começou seu trabalho como jornalista em outro jornal da cidade, onde possuía uma página de opinião sobre os acontecimentos políticos de Torres. Com o tempo a página foi se popularizando, e logo surgiu a ideia de abrir um jornal próprio, até mesmo por sugestão de alguns leitores mais assíduos. ” As pessoas me diziam sentir a necessidade de saber mais sobre a estrutura social e econômica da cidade, e eu sentia que havia uma demanda por noticias que incitassem o debate sério em Torres. Na época, sentia que nos jornais locais daqui vigoravam interesses muito pessoais, quase paroquiais. Me parecia que faltava um ‘link’ entre a população local e os veranistas (que, afinal, também fazem parte do contexto sazonal da cidade)”, indica Fausto.
Criado em uma família com vocação comercial antiga – sendo que por 10 anos foi diretor de marketing da histórica J.H. Santos, empresa fundada por seu avô ( e que por muito tempo uma das maiores do Brasil na área do varejo) – Fausto sentia, também, a necessidade de alavancar a economia e o turismo do município através da informação séria e equilibrada. E sua missão de abrir um jornal novo em Torres acabou encontrando – na sociedade local – empresas que acreditaram neste ideal, dispostas a anunciar e apoiar o começo desta empreitada.

 

Desafio ao começar

O começo do jornal A FOLHA, como sempre, foi um desafio. A equipe era literalmente familiar. Boa parte do jornal era escrita pelo próprio Fausto, sendo que algumas matérias (de editorias como variedades, social, saúde e beleza) eram elaboradas por Teresa Cristina Rocha, sua esposa, formada em Direito e com experiência em vendas. “Foi um desafio que aceitamos juntos. Sempre gostei de novidades e embarquei na ideia de uma nova atividade”, indica Teresa. O casal (que até hoje ‘segue firme’, trabalhando em conjunto) gerenciava as atividades do restante da pequena equipe inicial: um técnico diagramando o jornal, um entregador e o pessoal da gráfica (responsável pela impressão).
O impresso começou com apenas 12 páginas. Era inteiramente em preto e branco – e fechado manualmente, de forma artesanal. “As folhas chegavam até nós abertas, eram manualmente dobradas no formato tabloide. Toda a família participava quando podia: nossos filhos, o entregador”, explica Teresa.
As assinaturas eram feitas em estabelecimentos comerciais da cidade, e também oferecidas nas residências, de porta em porta. “Sejamos honestos: muitos, no começo, assinaram A FOLHA para ajudar, dar um impulso nessa empreitada de um novo jornal torrense. Mas logo começaram elogios pela pauta diferenciada do jornal. Hoje em dia, entretanto, muitos destes mesmos assinantes do começo continuam fieis ao impresso, comprovando que a informação contida nas páginas de A FOLHA é algo que importa para quem procura informações sobre Torres e região”, indicou Fausto.

 

O fazer do jornal

Desde o princípio, o jornal A FOLHA sempre buscou dar enfoque para que grande parte do jornal contivesse produção própria de notícias e reportagens especiais – buscando fugir das matérias e fontes oficiais e do ‘copia e cola’ (que, infelizmente, é base em muito do jornalismo interiorano atual). “O próprio slogan do impresso – ‘O jornal que valoriza sua inteligência’ – foi uma forma de expor que A FOLHA tinha uma identidade, que primava pelo trabalho acerca do debate denso, dos assuntos que nós considerávamos os que mais importavam no dia a dia da sociedade torrense”, explica Fausto.
A cobertura quase integral dos assuntos debatidos na sessão da Câmara dos Vereadores – espaço que, afinal, é a casa do povo – são também parte marcante do jornal A FOLHA. “A Câmara dos Vereadores acaba refletindo, de certa forma, a situação econômica e social da cidade. Na política, o posicionamento dos vereadores acaba sendo uma forma de ver como estão evoluindo estas questões, para então diagnosticar um plano de ação coletiva”, explica Fausto. O mesmo trabalho de cobertura (e fiscalização) dos acontecimentos (e polêmicas) ocorre também em relação as atividades do poder executivo, da prefeitura.
Uma das dificuldades iniciais, conforme Teresa, era conquistar a confiança do leitor de Torres e região – já que muitos desprestigiavam os jornais locais como fonte de informação séria, desconfiando do conteúdo apresentado (pelo excesso de ‘fofocas’ e partidarismo). “Esse desafio persiste até hoje, 10 anos depois. Mas acreditamos ter fidelizado um público que, hoje, tem confiança em nossa ética, que acredita no que lê no jornal A FOLHA”.

 

Uma nova fase

Simultaneamente com a evolução do impresso, a senda familiar do jornal A FOLHA foi ganhando, aos poucos, um novo integrante. Cursando faculdade de jornalismo na UFRGS, Guilherme Rocha, filho do casal Fausto e Teresa, começou a escrever algumas matérias especiais para o impresso entre os anos de 2007 e 2008. Em 2011, após um período de intercâmbio na Nova Zelândia, Guilherme passou a trabalhar integramente para o jornal A FOLHA – ocupação desde então vêm ocupando (hoje como editor do impresso).
No final de 2013, Guilherme completou sua graduação. Desde lá, ele vem se esforçando para trazer o que aprendeu na universidade para o trabalho prático do jornal A FOLHA. “A cobertura semanal dos diferentes assuntos da cidade (e região), o trato respeitoso com os anunciantes, o levantamento de pautas gerais que marcam o cotidiano – e a esquematização disso tudo nas páginas do jornal – e uma atividade exaustiva, mas também muito gratificante. A notícia é a construção social da realidade, e a atividade de informar envolve, principalmente, essa relação com as pessoas, de diferentes posições e classes sociais, os personagens da notícia, numa busca incessante para estabelecer um retrato o mais fiel possível da realidade”.


Jornal A FOLHA hoje (e amanhã)

Atualmente, o jornal A FOLHA é um empresa de comunicação que, a partir do trabalho conjunto de muitos, vem adquirindo um profissionalismo e qualidade que vem sendo reconhecida pela comunidade, de forma crescente e sistêmica. A essência do jornal familiar persiste, mas agora é amparada pelo designer e diagramador Samuel Franzen e pelo sempre atuante Juarez Martinato (desde o começo um dos principais responsáveis pela distribuição do impresso em Torres). Além disso, há quase uma dezena de colunistas que, semanalmente, colaboram com o jornal, trazendo assuntos do cotidiano e da nossa realidade local para as páginas de A FOLHA. Sem contar os jornalistas freelancers contratados para pautas específicas.
A tiragem do jornal, apesar de sazonal, aumentou substancialmente desde sua criação. A FOLHA começou sendo distribuído apenas em Torres – mas hoje circula por várias cidades da região (Três Cachoeiras, Arroio do Sal, Morrinhos do Sul, Dom Pedro de Alcântara, Mampituba e Passo de Torres) sendo facilmente reconhecido onde quer que chegue. São centenas de assinantes – muitos destes fidelizados há anos, seja no impresso ou no eletrônico.
No meio virtual, o jornal também vem crescendo de forma exponencial nos últimos anos. O site (www.afolhatorres.com.br) cada vez mais torna-se numa referência regional. Como reflexo do aumento da popularidade da internet como espaço para consumo de notícias, o conteúdo no site do jornal A FOLHA possui uma média de, aproximadamente, 2000 acessos diários (conforme mensuração da ferramenta Google Analytics). Além disso, a página do jornal na rede social Facebook conta com quase 7 mil curtidas – sendo que tornou-se num verdadeiro fórum de discussão das notícias compartilhadas, mostrando o interesse dos internautas de fazer parte do jornal.
Em 2016, adentramos em uma nova década agradecendo a vocês – nossos leitores e anunciantes – que durante os últimos 10 anos permitiram que fizéssemos parte de suas vida. E continuamos nossa caminhada com a certeza de que – apesar das desconfianças quanto ao futuro do jornalismo – sempre haverá espaço para um meio de comunicação local que prime pela ética e que queira o verdadeiro desenvolvimento de sua comunidade.

 

 

Nossa Equipe


Guilherme Rocha

Formado em Jornalismo pela UFRGS em 2014

Editor e Jornalista
Teresa Cristina

Formada em Direito pela PUC-RS

Diretora Administrativa
Fausto Araújo Santos Júnior

Formado em Economia pela PUC-RS e Pós graduado em Marketing

Diretor Geral
Samuel Franzen

Formado em Design Visual pela ESPM em 2010

Diagramador do Jornal Impresso