Praia da Cal volta a ser considerada ponto próprio para banho em Torres

Todos os pontos do Litoral Norte estão considerados próprios para banho, conforme nono boletim da temporada 2023/2024 do projeto Balneabilidade, divulgado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) nesta sexta-feira (9/02)

Praia da Cal, em Torres (FOTO - Guile Rocha / A FOLHA)
9 de fevereiro de 2024

O nono boletim da temporada 2023/2024 do projeto Balneabilidade, divulgado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) nesta sexta-feira (9/02), tem boa notícia para quem vai passar o feriadão de carnaval no Litoral Norte: a água está própria para banho em todos os pontos monitorados.

A Praia da Cal, em Torres, era o único ponto da região ainda considerado impróprio para banho no boletim da semana passada. Mas como registrou valores muito baixos (quase inexistentes) da bactéria Escherichia coli nas últimas três semanas, voltou a ser considerada ponto balneável pela Fepam.

Placa já foi atualizada na Praia da Cal – Foto: Divulgação/Prefeitura de Torres)

 

No quinto boletim da temporada – dia 26 de janeiro – a água estava considerada imprópria em 5 pontos da região (2 em Tramandaí, 1 em Xangri-lá, 1 em Imbé e a Praia da Cal em Torres). Assim, o fato das praias do Litoral Norte estarem todas em boas condições para banho neste dia 09 de janeiro é uma notícia a ser celebrada.

Considerando todas as regiões do estado, são 84 pontos próprios para banho e 7 impróprios; veja a lista dos pontos impróprios

 

  • Barra do Ribeiro– Praia Recanto das Mulatas – Lago Guaíba
  • Candelária– Balneário Carlos Larger – Rio Pardo
  • Dom Pedrito– Praia Passo Real – Rio Santa Maria
  • Pelotas– Valverde – Trapiche
  • Pelotas– Valverde – Av. Sen. Joaquim A. de Assunção
  • Santa Vitória do Palmar– Barra do Chuí
  • Santa Vitória do Palmar– Balneário do Porto – Lagoa Mirim

 

Para conferir o relatório completo da FEPAM, acesse o link – https://drive.google.com/file/d/1RqbvlrkeVVmRQe0eFH5yciY0kkaS2jCJ/view

 

Classificação

Para identificar se as condições de balneabilidade em determinado local são adequadas, são analisados dois indicadores: Escherichia coli (E.coli), bactéria cuja presença em abundância na água indica contaminação por fezes; e cianobactérias, ou algas azuis, que podem ocorrer em qualquer manancial superficial.

O resultado está condicionado a cinco semanas de monitoramento. Se, ao longo desse período, duas ou mais amostras do conjunto apresentarem resultado superior a 800 para E.coli ou, ainda, se a amostra mais recente das cinco avaliadas apresentar resultado maior que 2.000 para E.coli, o ponto será classificado como impróprio. O mesmo ocorre se a contagem de cianobactérias extrapolar 50.000 células.

As coletas em água salgada no Litoral Norte e respectivas análises são feitas pela Fepam, por meio da Gerência Regional do Litoral Norte Sema-Fepam (Gerlit) e da Divisão de Laboratórios (Dilab). O projeto é coordenado pelo Departamento de Qualidade Ambiental (DQA).


Publicado em: Meio Ambiente






Veja Também





Links Patrocinados