Assinar do jornal impresso? Clique aqui.
Torres, RS, 30 de Abril de 2017.

Atleta torrense é o sexto melhor do país nos 10 mil metros rasos
Sex, 17 de Junho de 2016 00:48


FOTO: Moreno e seu treinador Cláudio na pista da Sogipa, em Porto Alegre, onde foi realizada  a prova

 

Prova é uma modalidade olímpica de atletismo e a mais longa distância disputada em pista, com um total de 25 voltas em torno de uma pista de 400 metros  


Por Maiara Raupp
_________________

O frio intenso não atrapalhou o ótimo desempenho do atleta torrense, Winderson Malinski, durante o Campeonato Brasileiro Caixa Sub-20 de Atletismo, realizado no último final de semana (11 e 12), em Porto Alegre (RS). O garoto, de apenas 17 anos, ficou em sexto lugar do país na prova dos 10 mil metros rasos, um feito incrível para um jovem que treina no meio da rua, sem estrutura e com poucos apoios. 
Moreno, como é carinhosamente chamado, é o primeiro torrense a representar o Rio Grande do Sul na competição. “Só me caiu a ficha do quanto era importante a competição quando cheguei no hotel e recebi o uniforme. Li nele seleção gaúcha. Aí sim pude perceber o nível que estou. Aonde cheguei no campeonato mais importante do país, onde só os melhores participam. Foi uma experiência nova!”, disse ele.
O atleta, que participa a dois anos do projeto social Brincar de Correr (Ascort), falou ainda como se sente sendo o sexto do país. “Me sinto com potencial para ir mais longe. Fico feliz com o resultado porque ainda tenho pouco tempo de treino e já estou entre os melhores. Isso mostra que estou em boas mãos. Que o meu treinador é um grande profissional e que juntos podemos ir além”, afirmou Moreno, dedicando ainda a vitória ao seu treinador e idealizador do projeto, professor Cláudio Freitas, além da família, amigos e apoiadores.
Além da sexta colocação, Moreno trouxe na bagagem ainda mais força de vontade. “Trago do campeonato a motivação de seguir treinando e focando, que logo chegarei ao topo. Sei que hoje já estou mais perto do meu sonho do que ontem. É só ter paciência, dar tempo ao tempo e confiar no meu trabalho juntamente com meu treinador, que breve chegará a minha hora. Até o final do ano espero ficar entre os três melhores do país no ranking para conseguir receber o bolsa-atleta. Esse é o nosso principal objetivo”, concluiu ele.
O campeonato, que reuniu cerca de 330 atletas de 21 federações estaduais, faz parte do Programa Caixa de Competições, organizado pela Confederação Brasileira de Atletismo, patrocinada pela Caixa Econômica Federal. 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner