Assinar do jornal impresso? Clique aqui.
Torres, RS, 30 de Abril de 2017.

SECRETÁRIO SE DESPEDE AFIRMANDO QUE PRONTO ATENDIMENTO DE TORRES NÃO É SUSTENTÁVEL
Ter, 08 de Novembro de 2016 09:35

 

 FOTO: Gerônimo Paludo, Secretário Municipal de Saúde 

 

Por Fausto Júnior
______________
 

Participou da Tribuna Popular da Câmara de Vereadores de Torres, durante a última sessão da casa, realizada na segunda-feira (31/10), o atual secretário de Saúde do Governo Nílvia Pereira, Gerônimo Paludo. Ele foi à sessão cumprir com a obrigação legal de prestar conta do movimento financeiro da secretaria no segundo quadrimestre de 2016, acompanhado do contador da pasta. Mas aproveitou para se despedir dos vereadores, agradecer à comunidade de Torres e, de certa forma, projetar o futuro da secretaria da qual é titular há um ano.
 

POSTO 24 HORAS REQUER DINHEIRO DE MUNICÍPIOS VIZINHOS 

Para o secretário que está de saída nos próximos dias, “a secretaria está sofrendo com a diminuição de recursos do município, assim como com a diminuição de recursos dos repasses estaduais e federais para o Sistema de Saúde local, repasses estes baseados na arrecadação da União e do Estado do RS, que também diminuíram”. E para o gestor do governo Nílvia da pasta, há de se rever a participação de todos os municípios visando aumento da receita para disponibilizar o funcionamento do Posto de Pronto Atendimento, que funciona 24 horas no posto Central e que é o único pronto socorro da Grande Torres, consequentemente atendendo vários outros municípios da região, inclusive do Estado de Santa Catarina.
“O Posto 24 horas só será sustentável se os municípios vizinhos tiverem participação financeira para pagar as contas”, afirmou Paludo. É que o hospital só atende urgência (casos de risco de morte e acidentes graves). O resto é obrigação do PA (Pronto Atendimento Municipal).

 

ENTREGA DE POSTOS PRONTOS, MAS SEM O FUNCIONAMENTO DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

O secretário deixou também um sinal para Adriana Amoretti, secretária apresentada pelo governo Carlos Souza para ser sua substituta. Ele também lembrou que os três novos postos iniciados no governo João Alberto (gestão 2009/2012) estão prontos para operarem. O posto da parte leste da Vila São João, o do Complexo do ex-estádio do Torrense e o da Zona Sul (ao lado da escola) estão concluídos, mas, conforme o secretário, o fluxo de receitas da secretaria não permitiu que fosse implantado em todos o objetivo maior: as equipes da ESF (Estratégia de Saúde da Família).  “O posto do Torrense funciona a Fisioterapia para economizar aluguel da sala que pagávamos; e no posto da Zona Sul, estamos disponibilizando o espaço para que funcione a Guarda Municipal, pelo mesmo motivo: economizar aluguel”, explica o secretário que está de saída. 

 

 

 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner