Assinar do jornal impresso? Clique aqui.
Torres, RS, 26 de Abril de 2017.

PARQUE DA GUARITA EM FOCO: Intervenção polêmica, arrecadação e segurança
Sáb, 14 de Janeiro de 2017 09:52

 

 O Parque Estadual José Lutzenberger, mais conhecido como Parque da Guarita, é uma Unidade de Conservação criada em 1971 - através do empenho de vários ambientalistas locais buscando proteger este cenário geológico de grande valor ambiental e paisagístico.Seu nome homenageia o ambientalista gaúcho José Lutzenberger, que foi um dos maiores incentivadores da sua criação.  O Parque é constituído essencialmente por ecossistema costeiro, contando com a praia da Guarita, porém na sua implantação foram criadas áreas reproduzindo outros ecossistemas da região.Trata-se também de um local de grande importância cultural e econômica, sendo referência no lazer ambiental, recebendo anualmente milhares de turistas. E nesta começo de ano, o Parque da Guarita esteve no foco de diversas discussões na cidade de Torres.

 

Por Guile Rocha 

______________

 

Intervenção causou discussão

 

Uma intervenção no Parque da Guarita, realizada pela prefeitura de Torres no último dia 07 de janeiro, gerou discussões nas redes sociais: foi feito, provisoriamente, um novo acesso de veículos operacionais até a praia da Guarita, constituído principalmente de caliça (material que tem como base cacos de obra triturados) e saibro. Alguns internautas reclamaram pelo fato deste acesso estar marcando negativamente a beleza da Praia da Guarita, qualificando a intervenção até como dano ambiental. E estes posicionamentos ganharam eco após a ambientalista Lara Lutzemberger - filha do idealizador e paisagista do Parque da Guarita, José Lutzenberger.- gravar um depoimento no local, em desacordo com a intervenção. "É chocante ver a falta de sensibilidade de quem implantou essa estrada, sem dúvida desnecessária, no coração do Parque da  Guarita. Cortar um dos locais mais nobres do Parque com uma estrada com caliça é inadmissível, isso precisa ser revertido", ressaltou Lara Lutzemberger. 

Após o assunto ter repercutido, a Prefeitura de Torres emitiu uma nota oficial sobre o ocorrido, buscando "manter uma comunicação transparente com a sociedade e reafirmando o compromisso com o Meio Ambiente". Conforme o texto, o intervenção veio para garantir o tráfego de veículos até a praia - como bombeiros, ambulâncias e veículos de coleta de resíduos - pois um caminhão já teria, anteriormente, atolado no local em função das chuvas.  

O texto da prefeitura ainda indicava que a Secretaria do Meio Ambiente já estava trabalhando na melhoria do acesso, retirando o excesso de material depositado e visando sua adequação. "Reafirmamos nosso compromisso com a preservação do patrimônio natural de Torres e agradecemos à população pelo alerta, reconhecendo a importância do papel de cada um na fiscalização das ações da administração municipal, principalmente, em prol do Meio Ambiente". De acordo com parecer emitido por técnicos ambientais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo de Torres, anteriormente, o acesso de veículos era realizado através da ciclovia existente no Parque da Guarita. No entanto, o trânsito de veículos pesados danificou o pavimento da ciclovia e se tornou inviável o uso deste acesso para a faixa de praia.

E na quinta-feira (12) os ânimos se apaziguaram um pouco após uma audiência entre ambientalistas e a nova gestão da prefeitura, onde foi feita a promessa de que a estrada de caliça seria removida por completo no final deste veraneio. Para o ano seguinte, o plano seria reforçar um trecho de uma outra via já existente para permitir a passagem de veículos mais pesados.

O prefeito Carlos Souza demonstrou sua preocupação em preservar o Parque da Guarita e ressaltou que a Prefeitura já está trabalhando nestas medidas para manter o acesso de veículos de forma adequada, respeitando as condições colocadas pelos órgãos ambientais. O prefeito, inclusive, gravou um vídeo junto com a ambientalista Lara Lutzemberger na Guarita, onde detalhou seu caminho para futuras soluções em prol da preservação do Parque. Lara, por sua vez, se mostrou otimista de que este (e outros problemas) do Parque da Guarita venham a ser resolvidos.

 

 

Receita (e despesas) do Parque da Guarita em discussão

 

A gestão do Parque da Guarita esteve também entre os destaques da pauta semanal, sendo debatida na sessão da Câmara dos Vereadores  de Torres, realizado no dia 09 de dezembro (segunda-feira). Após pedido de informação feito pelo vereador Marcos Klassen (PMDB), foram lidos no expediente da sessão os valores arrecadados - principalmente com a cobrança da entrada de veículos -  e gastos com o parque turístico desde 2009 até outubro de 2016. Neste período, estiveram governando a cidade o ex-prefeitos João Alberto Machado (2009-2012) e Nílvia Pereira (2013-2016).

Segundo o ofício lido na câmara - com dados fechados no final do ano passado pela prefeitura, então gerida por Nílvia Pereira -  foram arrecadados no Parque da Guarita cerca de R$ 522 mil entre 2009 e 2012, período em que a despesa foi de aproximadamente R$ 184 mil. Já entre 2013 e outubro de 2016, a receita gerada a partir da Guarita teria sido de aproximadamente R$ 1,7 milhões, enquanto a despesa com o parque girou em torno de R$ 1,91 milhões. Ou seja:  entre os anos de 2009 e 2012, houve um superávit de pouco mais de R$338 mil na gestão do Parque. Já entre 2013 e outubro de 2016, os valores arrecadados com o Parque da Guarita mais que triplicaram em relação ao quadriênio anterior, mas os gastos com o parque (que são referentes a sua manutenção, contratação de pessoal/seguranças e efetivação de benfeitorias como a ciclovia) aumentaram cerca de 10 vezes. Com isso houve déficit de cerca de 200 mil.

Responsável pelo pedido de informações, Marcos Klassen se disse surpreso pelo fato de "as contas não fecharem com o que havia sido passado (em novembro de 2016) pela então secretária interina de Meio Ambiente de Torres", Fernanda Matos, quando esta prestou esclarecimentos sobre a Guarita na tribuna popular da Câmara: " Não da para aceitar o alto valor desse investido e como se encontra hoje o Parque da Guarita, praticamente abandonado, com lixeiras em situação ruim, banheiros com infiltrações", disse o vereador, que também se mostra favorável a instalação de catracas no pórtico do Parque, para que haja cobrança eletrônica dos veículos que lá entrem.

Presente na mesma sessão da Câmara, o novo prefeito de Torres, Carlos Souza, afirmou que a possibilidade de uma porteira eletrônica já está sendo averiguada para o Parque da Guarita.

 

Medidas por mais segurança no Parque

 

O vereador Jéferson Santos (PTB) também falou brevemente sobre os riscos em relação as Furnas da Torre do Meio - também parte do Parque da Guarita. O assunto, infelizmente, é recorrente - em decorrência dos acidentes que ocorrem junto as furnas (alguns, inclusive fatais). E Jéferson falou sobre a necessidade de mais medidas de segurança para alertar os turistas que passam pelo local, "Quando a maré está cheia a água passa por cima e o pessoal, desavisado, vai lá tirar foto e acaba sendo levadas pelo mar. Já foi dito que, agora, será a  Secretaria de Turismo que irá administrar o parque da Guarita, então deve-se destacar os riscos daquele lugar aos turistas. Penso que podíamos orientar um recepcionista para, no momento que efetuar a cobrança, avisar sobre o horário da maré alta. Uma medida simples, que não vai ter custos e pode ajudar".

Quanto a esta questão da segurança, o prefeito Carlos Souza, afirmou que um folheto informativo e turístico do Parque da Guarita será desenvolvido, sendo que este material alertará também sobre os pontos de perigo no parque.

 

  

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner