Assinar do jornal impresso? Clique aqui.
Torres, RS, 30 de Abril de 2017.

TRABALHADORES RURAIS DE TORRES PEDEM MOÇÃO DE REPÚDIO CONTRA PEC DA PREVIDÊNCIA
Seg, 23 de Janeiro de 2017 15:28

 

 

 

 Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Torres, José Carlos de Matos (foto), esteve na tribuna da Câmara dos Vereadores

 

Por Fausto Júnior

_______________

 

Esteve participando da Tribuna Popular na última sessão da Câmara Municipal de Torres, realizada na segunda-feira (16/1), o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Torres, José Carlos de Matos. A pauta do sindicalista foi a luta dos trabalhadores do campo para que a categoria não seja atingida nas medidas da PEC (Projeto de Emenda Constitucional) 287, que será votada no Congresso Nacional nas próximas semanas. De autoria do Governo Temer (Poder Executivo Federal), a PEC da Previdência trata sobre mudanças profundas nas regras de aposentadoria de todos os brasileiros.

 

“GOVERNO TEMER NÃO TÊM MORAL PARA ISTO”

 

“Demoramos 30 anos trabalhando para incluir as mulheres trabalhadoras rurais no sistema, ganhando um salário mínimo, e para diminuir para 60 anos a aposentadoria dos homens do campo. Agora querem tirar os nossos benefícios”, reclamou José Carlos, o Zé do Sindicato. “Iremos para Brasília fazer manifestações no mês de fevereiro e achamos que outros movimentos vão estar lá nos acompanhando. Só Deus sabe o que será disto”, preveniu o sindicalista sobre a rebeldia das categorias de trabalhadores.

Para José Carlos de Matos, o governo quebrou "porque estão roubando" e, para a categoria, a previdência não é deficitária. “Este governo Temer não têm moral para diminuir benefícios dos trabalhadores”, disse, ainda, o sindicalista.

Os trabalhadores rurais defendem que o governo cobre dos inadimplentes e dos contribuintes ilegais a adequação para a cobertura do dinheiro que falta para equilibrar o sistema. Mas a maior reclamação dos trabalhadores do campo é o aumento da idade mínima para a aposentadoria, onde as mulheres passam para 65 anos, no mínimo, para pedir sua aposentadoria e os homens passam para 75 anos a idade mínima para se aposenta -, o que é considerado por eles idades muito altas para o perfil daqueles trabalhadores.

 

CÂMARA DEVE VOTAR MOÇÃO DE REPÚDIO 

 

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Torres está percorrendo todas as Câmaras Municipais onde sua região de atuação abrange. Nas visitas o presidente José Matos repete este discurso e, a seguir, como aqui em Torres, formaliza pedido para que as Câmaras Municipais emitam uma Moção de Repúdio à PEC 287 e mandem para o Congresso Nacional.

Pelo discurso de alguns vereadores após a manifestação do presidente do sindicato na sessão da casa na a tribuna do último dia 16 de janeiro, a maioria absoluta dos edis torrenses devem aprovar o repúdio à aprovação da PEC da Previdência em Brasília (do jeito que está formatada).

 

 

 

 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner