38 ANOS DE TRADIÇÃO E EMPREENDEDORISMO EM TORRES

Posto de combustível na estrada BR-101 (foto) iniciou caminho familiar do Grupo Denardi, que agora tem até empreendimento imobiliário

15 de Maio de 2017

No dia 29 de abril de 2017, o grupo de negócios da Família Denardi, aqui de Torres, completou 38 anos de fundação. O início foi lá no ano de 1979,  quando o patriarca da família, Edgar Denardi, se associou para adquirir um posto de combustíveis na BR 101, o tradicional Posto Belvedere.

Neste ano passado, o complexo de empreendimentos da empresa familiar inaugurou sua participação no mercado imobiliário. Mas foi no ramo de venda de combustíveis que a família se estabeleceu comercialmente em Torres, onde atua já com a segunda geração. Hoje, o grupo Denardi assume papel de destaque em vários segmentos: Combustíveis, Perfumes e cosméticos, móveis e decoração e empreendimentos imobiliários.

 

Grupo Denardi já trabalhando no lançamento de empreendimento imobiliário Bellagio, em Torres

Histórico mostra arrojo e responsabilidade de Edgar

 

Quando, em 1965, aos 19 anos, decidiu sair de Ilópolis, no interior gaúcho, para estudar Administração de Empresas em Porto Alegre, o patriarca da família Edgar Denardi já tinha um objetivo traçado. Ele planejava investir em um negócio próprio depois que se formasse. O plano demorou alguns anos para se concretizar, mas nunca foi deixado de lado. Se formou e trabalhou por mais de 10 anos na empresa Savar, revendedora de caminhões Mercedes-Benz. E foi nesse emprego que, em 1979, surgiu a oportunidade que ele tanto esperava.

“Um cliente da montadora, e também meu grande amigo, tinha um posto de combustível na BR-101, o Belvedere. Quando ele decidiu passar o negócio adiante, sabendo do meu desejo, me propôs condições muito especiais e, então, pude alugar o posto”, conta Edgar. Após oito anos de sucesso no comando do posto, ele pode fazer, ao amigo, uma oferta para comprar o estabelecimento. “Para isso, tive que vender a casa que morava com a minha esposa, Marisa, e dois filhos pequenos, o Emiliano e o Leonardo. Foi um investimento ousado, mas deu certo”, comemora. Apenas três meses depois, em julho de 1987, surgiu uma oportunidade para adquirir o segundo posto, o Pit Stop.

Apesar de, desde o início, contar com uma clientela fiel, o empresário passou por momentos desafiadores, especialmente no início da década de 1990 com o Plano Collor. “Foi um período delicado para a economia do País. Tivemos que trabalhar com preços tabelados, às vezes com prejuízo”, recorda-se. A recuperação demorou cerca de dois anos. “Fizemos empréstimos bancários e renegociações de dívidas para não deixar nossos fornecedores na mão. No final, aprendemos uma importante lição: não devemos arriscar mais do que podemos e é de extrema importância poupar e manter a empresa capitalizada, com algumas reservas”, afirma.

Posto Pit Stop, na Av. Barão do Rio Branco, Torres (foto Márcio Torrez)

 

Apoio da família

 

Para vencer os desafios, Edgar contou sempre com a ajuda da esposa Marisa e dos dois filhos. “Minha mulher é muito caprichosa e cuida de detalhes importantes que fazem a diferença nos postos, como, por exemplo, a decoração e a limpeza dos estabelecimentos”, diz ele. O filho mais velho, Emiliano, trabalhou por alguns anos nos postos, mas decidiu seguir carreira na área de importação. Já Leonardo, o mais novo, segue os passos do pai e, desde 2000, aos 22 anos, passou a dividir com ele o comando dos negócios. “A história da minha vida se mistura com a dos postos. Meu irmão e eu praticamente crescemos aqui e eu me preparei para assumir os negócios desde cedo”, conta o jovem empresário que, assim como o pai, também é formado em Administração de Empresas. “O Leonardo é dedicado e gosta muito do que faz. É importante tê-lo por perto, pois é a certeza da continuidade desse trabalho de tantos anos”, elogia Edgar.

A rede continuou crescendo após a chegada de Leonardo e, em 2004, a família adquiriu a terceira unidade no município, o Posto Via XV.  Edgar sempre apostou em novas tecnologias para se diferenciar da concorrência.  “Frequentemente viajo para eventos do setor. Tento, de todas as formas, trazer algo inovador, que agrade aos clientes”, relata. Os exemplos de inovações são inúmeros. “Há 30 anos, o Belvedere foi um dos primeiros postos no Estado a ter sistema totalmente informatizado. Sempre invisto em modernização”, destaca.

Para Leonardo , a busca permanente por satisfazer as expectativas dos clientes é o que garante o sucesso do empreendimento. “É no atendimento de excelência e no serviço diferenciado que conquistamos a preferência dos nossos clientes. Por isso, investimos constantemente no treinamento dos mais de 70 funcionários que trabalham conosco nos postos”, diz.

Posto Via XV (Foto por Márcio Torres)

 

Referência também em sustentabilidade

 

O posto Pit Stop também foi o primeiro posto no Litoral Norte gaúcho a receber o selo de estabelecimento ecoeficiente, fornecido pela empresa distribuidora de combustíveis. Para conseguir a certificação, Leonardo explica que foram feitas adaptações no posto, apontadas e analisadas pela bandeira: “Entre as exigências, estavam o reaproveitamento da água das chuvas, iluminação econômica, torneiras com fechamento automático, tratamento e reuso da água da lavagem de carros, coleta seletiva de lixo, entre outras”, enumera.

O jovem empresário acredita que essa é uma responsabilidade que todos os varejistas devem assumir. “É um compromisso com o futuro do Planeta e os clientes estão atentos a isso. Quem não se adequar, certamente ficará para trás. Aqui no Pit Stop, os consumidores apoiam a iniciativa”, frisa Leonardo.

No ano de 2015, o Posto Via XV recebeu reformas, também seguindo os padrões de sustentabilidade. Com agilidade e eficiência, a cara do tradicional (no centro alto de Torres) foi repaginada. Atualmente possui uma moderna loja de conveniência da rede Ipiranga onde até Padaria faz parte do mix de produtos, além da caverna de cervejas geladas e outras inovações.

 

Entrada na Construção Civil após 38 de fundação

 

A Esposa de Edgar e a esposa de Leonardo ajudam a família Denardi em Torres a diversificar seus negócios. A esposa Marisa toca  uma loja especializada em móveis e  decoração, a Atualitá. Já a esposa de Leonardo, Franciela, leva adiante  franquia da rede de lojas ‘O Boticário’ aqui em Torres. Atualmente o grupo familiar possue mais de 100 colaboradores, sendo uma das empresas que mais empregam no nosso município.

No ano passado, os Denardi lançaram um edifício para inaugurar aqui em Torres uma empresa de empreendimentos imobiliários. Eles já estão com as vendas no prédio abertas e em obras, numa Torre construída próxima à Lagoa do Violão, na Avenida José Bonifácio, na entrada da Zona Sul do centro da cidade.  O Filho mais velho, Emiliano, voltou a trabalhar com a família e gerencia ao lado do Leonardo e Edgar o setor da Construção Civil dos negócios.

Trata-se de um passo grande da empresa familiar em seus empreendimentos, o que dá espaços amplos para a comemoração dos  38 anos de negócios neste ano de 2017 pelo Grupo Denardi.

 

 


Publicado em: Economia






Veja Também





Links Patrocinados